O melhor de Você

vc1

O dia em que você nasceu foi especial. Não conheço você. Não sei se você nasceu em berço esplêndido ou, como muitos, não tinha lugar para nascer. Não sei se durante a sua infância, a vida lhe favoreceu um bom lar, com um confortável quarto, brinquedos fartos e roupas e sapatos à vontade.

Ou quem sabe, ao ler este artigo lhe venha à mente o tempo em que você teve que morar em lugares de condições subhumanas, dividir o quarto apertado com mais outros irmãos e primos, e se divertir com brinquedos improvisados e fazer de tudo para esticar a vida útil de seu kichute ou seu conga, pois talvez seus pais não tinham condições de comprar outros calçados e vestimentas novas.

Talvez a sua vida foi regada de muitos amigos e aventuras que lhe causam alegria ao se recordar dos fatos que marcaram sua juventude. Ou será que toda a sua força de jovem teve que ser dispensada para sobreviver aos massacres da solidão pela falta de amigos para compartilhar dos momentos da vida e você nem gosta de lembrar-se dessa fase da vida?

Não sei se sua família foi construída com solidez, passando as tempestades da vida sem desmoronar, ou se por alguns percalços, o sonho de uma família perfeita foi desfeito, talvez uma, duas, três vezes e quem sabe até mais vezes, com as ventanias advindas e pela falta de fundamento na rocha do amor puro e verdadeiro, esse sonho foi destruído.

Posso imaginar se você é uma pessoa que consegue organizar, planejar, estabelecer metas e alcançar seus objetivos, ou se tem imensa dificuldade de trabalhar essas competências e isso te deixa insatisfeito consigo mesmo, rebaixando a sua autoestima, o que te faz não querer acordar no próximo dia.

Bom, mesmo eu não te conhecendo, e mesmo que tenhas vivido até hoje no lado mais difícil da vida, eu quero te convidar a encontrar no profundo de seu ser a pessoa mais abençoada dessa terra. Eu quero que você conheça a pessoa mais talentosa que você pode encontrar. Eu quero que você acredite que você tem as habilidades e competências mais especiais desse planeta.

Te convido a amar a pessoa mais importante que convive com você diariamente, fora da pessoa de Deus, que é você mesmo. Somente assim, aprenderás a amar as pessoas que te amam e convivem ao seu redor. Descubra que tem pessoas que te amam. Teve alguém que deu a sua vida por você, alguém que derramou seu sangue numa cruz por você, para te trazer nova esperança. vc

Há ainda esperança para você construir e consolidar a sua família. Ha tempo de terminar melhor do que você começou. Você tem escolha de não acreditar nas dificuldades da vida, e começar a acreditar que tem potencial dentro de você que ainda não foi colocado para fora.

Há ainda tempo para você se organizar, planejar, estabelecer metas e alcançar seus objetivos. Se você está lendo este texto então ainda há vida, ainda há esperança. O próximo ano, o de 2016, pode ser o melhor ano de sua vida.

Eu te convido a ser a melhor pessoa que você pode ser em todos os seus papéis pessoais, sociais, profissionais e vocacionais. Venha ser a melhor pessoa. Venhar ser o melhor de você!

Coaching – A Geometria do Sucesso

planning1

Qual a menor distância entre dois pontos, A e B? Alguns estudantes de matemática responderiam com propriedade que é uma reta! Outros no entanto, que estudam a geometria analítica diriam que a menor distância entre 2 pontos pode ser calculada pelo Teorema de Pitágoras, que calcula esses pontos que recebem coordenadas no plano cartesiano e por meio dessas coordenadas podemos encontrar o valor da distância entre dois pontos.

Se tivermos no meio da discussão um estudante da Geometria Invisível do Universo, ele dirá que no espaço-tempo, a menor distância entre dois pontos é dada por uma curva chamada geodésica, que é uma linha que só pode ser desenhada em um diagrama. Qualquer corpo em queda, na verdade, está rolando sobre essa curva geodésica. Tal aluno concluiria, portanto, que nem sempre é possível caminhar em linha reta entre dois pontos – é o que impõem os espaços curvos, como, por exemplo, a superfície esférica da Terra, por isso, a menor distância entre duas cidades como São Paulo e Tóquio seria um arco de círculo.

Coaching –  A Geometria do Sucesso

Bom, mas na verdade não estou aqui para falar de matemática, ou de espaço ou de tempo, ou de geometria geodésica,  nem de geometria invisível do universo, mas de algo muito simples e poderoso. Quero trazer para você a metáfora do Processo de Coaching, que é exatamente o caminho mais curto para o seu sucesso. Quero falar da Geometria do Sucesso.

Quando estabelecemos uma parceria entre o Coach e o Coachee, começamos a traçar o caminho que percorreremos até o sucesso do nosso cliente. E para isso, é necessário primeiro de tudo conhecer o ponto de origem do processo (ponto A), onde ele atualmente se encontra. É o que chamamos do local do Estado Atual do Coachee. É o local onde o cliente percebe seu atual momento, se positivo ou negativo, se tem performance boa ou ruim, se agradável ou desagradável, ou qual dor ou problema que ele está enfrentando.

A partir de ferramentas que levam ao seu autoconhecimento, então o Coachee terá condições de estabelecer as próximas metas. Qual o seu próximo objetivo a ser alcançado e qual o primeiro passo, e quais os demais passos que deverão ser percorridos, estabelecendo o planejamento até chegar ao seu ponto B, que é o lugar da chegada, da bandeirada da vitória.

Com determinação, foco e ações concretas, então o Coachee caminha de forma consciente até que chegue no objetivo. É importante ressaltar que o cliente terá de enfrentar suas crenças limitantes, vencer seus desafios e medos e decidir não desistir até que alcance o resultado esperado. O processo é conhecido como acelerador de resultados justamente por esse comprometimento.

Essa parceria tem no profissional Coach, um elemento importantíssimo que está para amparar, ajudar e incentivar o cliente na sua jormada. Por isso, quando Coach e Coachee juntos abraçam o processo, a parceria tem tudo para dar certo e assim encontraremos no Coaching a menor distância do Coachee até a sua Meta.

Pense nisso!

ARIEL NOBRE – Master Coach

Etiquetado , , , , , ,

Liderança Global para um mundo globalizado

globalizado

O mundo nos dias de hoje tem criado novas exigências, relacionadas às lideranças administrativas que necessitam de líderes que sejam efetivos em dimensões simultâneas de tempo, distância e cultura. Por causa dessa exigência em três dimensões, os líderes enfrentam um nível de complexidade global que não se representa nos modelos tradicionais de desenvolvimento de liderança.

O sucesso da liderança atual passa pela transformação de percepção, superando as barreiras e enxergando as oportunidades dessas dificuldades e a diferença como potencial. Exatamente por isso, é uma jornada que exige uma preparação pessoal altamente especialzada eum programa de desenvolvimento profissional. O Coaching pode então ser de grande valor para o preparo de indivíduos prontas para enfrentar os desafios hodiernos.

A Liderança global precisa de novos líderes que desenvolvam o exercício de liderança eficaz em todas as distâncias, países e culturas. Com isso, o líder global tem muitos desafios, entre os quais estão incluídos:

  • Ganhar aceitação e credibilidade em cenários culturais diversos;
  • Motivar empregados com históricos diferenciados;
  • Manter a efetividade da comunicação através das fronteiras, fuso horário, idiomas e culturas;
  • Autogerenciamento de prevenção ou minimização da insegurança, da propensão ao desamparo e da dependência oriunda da complexidade e extensão das tarefas globais;
  • Proteger-se do choque cultural, na permanência de períodos longos em locais desconhecidos
  • Administrar a tomada de decisão participativa.

O líder global competente é uma pessoa que primeiramente precisa ter uma perspectiva externa de si mesmo e de sua cultura, que valida a perspectiva étnica e transcultural.

Pense nisso e contrate um Coach, se isso fizer sentido para você! !

ARIEL NOBRE – Master Coach.

Etiquetado , , , ,

O papel do Coach: revelar o que as pessoas estão pensando

pensamento1

O papel do Coach é revelar o que as pessoas estão pensando. O nosso trabalho como coach é buscar elevar o nível de pensamento do coachee, porque quando trabalhamos a transformação do pensamento, torna-se necessário elevar esse nivel de consciência para um nivel superior.

O problema é que nós, seres humanos, parece que já nascemos predispostos a sempre ter a razão em nossos pensamentos. Muitas vezes queremos proteger a nossa consciência defendendo a nossa forma de pensar. E quando alguém nos convida a pensar de alguma forma nova, isso não se adequa ao nosso pensamento.

As pessoas não podem ouvir o que você está dizendo, enquanto elas estão ocupadas em ouvir o que eles estão pensando. Em muitas ocasiões não ouvimos as pessoas, mas sim a voz que está dentro de nossa cabeça, e o nosso cérebro conta historia a respeito do que estamos ouvindo e quando chega no entendimento, então chega de uma forma diferente.

O papel do coach é fazer as pessoas revelarem aquilo que estão pensando, porque no momento em que a pessoa revela o que ela está pensando, é quando ela conseguirá transformar o pensamento. Você só consegue transformar aquilo que está revelado, mas não consegue transformar o que ainda não está revelado.

O primeiro trabalho do Coach é criar um ambiente para que a pessoa possa revelar qual o seu pensamento. E você não pode ficar surpreso, se perceber que o seu coachee não está comprometido com aquele pensamento, pois a maioria das pessoas não querem transformação. Elas querem reconhecimento pois necessitam ser reconhecidas e elogiadas.

E no momento em que você convida a pessoa para entrar na batalha da transformação, existe um conflito entre o pensamento superior e o pensamento real. Sempre vai haver essa batalha, essa tensão, entre o que é possível e o que é real. Entre o ponto B e o ponto A.

A maioria dos coaches cometem o erro de iniciar pelo ponto A. (Como  eu posso ajudar? Me fale o  que está acontecendo? O que você precisa? ) Todas essas são perguntas legitimas, mas perigosas porque, na realidade, o que o coach está fazendo é pedir para o coachee dar a responsabilidade para ele a respeito da vida dele. Se eu pergunto como eu posso ajudar, eu já estou presumindo que a outra pessoa não pode se ajudar. Isso é uma forma arrogante de fazer coaching.

Nós devemos começar com o ponto B.

Desde o início, você tem que estabelecer que é o coachee que vai realizar o trabalho. Mas pode ser que inicialmente ele vá oferecer resistência a essa conversa. E vai querer perguntar, o que você acha? É uma armadilha! Ele está tentando te induzir para você falar o que ele deve fazer. Mas o papel de um coach é devolver a responsabilidade para o coachee.

Quando devolvemos a responsabilidade para o coachee, isso faz com que eles revelem os diálogos internos que estão impedindo deles conseguirem os resultados. Somente assim, quando revelam as conversas internas é que existe a possibilidade de transformação.

Ensinamentos de Hendre Coetzee (Fundador e Presidente do CAC – Center for Advanced Coaching)

Pense nisso!

ARIEL NOBRE – Master Coach

Etiquetado , , ,

A arte da maestria do Coaching

Counselling and Support

Todos sabemos que o Processo de Coaching é do coachee. Mas durante o andamento do processo corre-se o risco do Coach ser tentando a resolver alguns assuntos do cliente, devido a relação entre eles ser muito intensa e estreita.

Colabora com isso, o fato de que em muitos casos, o coachee fica esperando que o seu coach lhe diga o que tem que ser feito, ou lhe prepara algumas armadilhas para que ele diga a sua opinião sobre alguma decisão que somente cabe a ele tomar. São indagações sorrateiras que os clientes nos fazem, que se não tivermos atentos podemos cair na tentação de querer ‘salvar’ o nosso coachee.

É lógico que toda essa intenção de querer resolver rapidamente uma situação para o cliente nasce de uma boa intenção, mas aí é que devemos saber a diferença entre o excelente profissional coach do mediano. Para isso devemos recorrer a uma lei do coaching que é a de garantir a liberdade do coachee de aprender com seus próprios erros. Ou seja, devemos atender a terceira necessidade do ser humano que é ter o direito de errar.

Em muitas ocasiões é muito mais vantajoso o coachee aprender com os seus erros, do que tentarmos livrá-los da dor. Não quero dizer com isso, que as pessoas só aprendem errando, mas que muitas vezes sentimos pena e impedimos que o cliente tenha a percepção de suas decisões. Às vezes, isso somente virá com os erros.

É sempre bom lembrar que o Coach não existe para responder os questionamentos do coachee ou tentar resolver o problema dele, muito pelo contrário, ele funciona trazendo perguntas poderosas para que o coachee encontre suas melhores respostas.

Segundo bem falou-nos Hendre Coetzee, dentro de um treinamento de Master Coach, devemos compreender que a arte da maestria do Coaching é a do Coach sempre devolver a responsabilidade para o coachee.

Responsabilidade com o futuro

passadofuturo

Muitos vivem preocupados em como resolver o seu passado, e levam anos a fio tentando se desvencilhar de culpas, erros e traumas vivenciados no tempo que já se foi. Não se perdoam, não perdoam as outras pessoas, não se desgarram do fato acontecido e o pior, permitem que esse passado lhes paralisem.

Ao mesmo tempo em que desejam um futuro melhor, essas pessoas não conseguem romper com suas crenças limitantes e assim vivem insatisfeitas e com sentimentos de derrotas, acumulando fracasso após fracasso. E como descargo de consciência ainda elegem pessoas ou situações alheias como as culpadas pelos seus insucessos.

Aqui está a chave para a virada. Ao invés de ficarmos condenados a estar presos no passado e culpando o próximo, devemos nos responsabilizar pelo caminho que está a frente, ou seja darmos conta de que na estrada da vida ainda resta muito chão para trilharmos.

É hora de sermos responsáveis pelo futuro que ainda é possível. Tudo começa na mentalidade. É momento de sofrermos uma verdadeira ‘metanóia’ (transformação de mente), e acreditarmos que ainda podemos ter um futuro brilhante pela frente.

Nós, como coaches, devemos apontar o caminho do futuro para nossos coachees. Eles precisam compreender que não adianta nada ficarem presos no passado. É momento de construir o futuro!

Pense nisso!

ARIEL NOBRE – Master Coach

Viver de Coaching ou Viver do Coaching?

coaching-executivo-psicanaliticoMuitos coaches recém formados alimentam a crença limitante de que é muito difícil, ou até mesmo quase impóssivel viver de Coaching. E por esse motivo, uma grande porcentagem daqueles que fazem a formação profissional acabam desistindo pelo caminho e abandonam a profissão.

Mas gostaria de explicar que, antes de mais nada, viver de Coaching é vivenciar um novo estilo de vida. Se essa primeira etapa não for formatada na mente, mui dificilmente poderemos continuar por muito tempo na profissão. A maioria desiste porque antes de viverem o Coaching querem viver do Coaching, ou seja, sobreviver financeiramente da profissão, sendo necessário para isso a busca constante de novos clientes.

Eu mesmo experimentei esse dilema por não entender que faltava vencer minha mente, pois achava que ao possuir uma ferramenta extraordinária agora eu sairia pelo mundo e facilmente ficaria rico. Até que compreendi o princípio mais importante: compreender a diferença entre Viver ‘de Coaching’, e Viver ‘do Coaching’. Eu tive que internalizar isso no coração e perceber que necessitava vivenciar as mudanças provocadas pelas ferramentas poderosas do Coaching.

Não somos Coaches para ficarmos ricos. Somos agentes de mudança de mentes. Não estamos na profissão por causa do dinheiro, mas por uma causa mais nobre: ajudar as pessoas a descobrirem o melhor que existem nelas. Hoje entendo que mudar o foco faz toda a diferença.

Não quero dizer com isso, que os Coaches devem trabalhar de graça, muito pelo contrário. Eu sempre defendo que o Coachee deve saber dar valor ao processo e invista em sua própria vida, pois o maior beneficiado do Coaching é o cliente.

Pense nisso!

ARIEL NOBRE

Master Coach 

Coach – um agente de mudanças

arimaster

A experiência de ser um Coach é extraordinária. É mais do que uma profissão, é mais que técnicas e mais que ferramentas. É encontrar-se com a missão de vida. Ser Coach é ser um agente de mudanças. É viver o propósito de seu ministério. Quando eu fui levado pelas circunstâncias da vida, a encontrar-me com o Coaching, no ano de 2012, eu não imaginava o quanto minha vida iria ser transformada.

Não quero dizer com isso, que minha história até os 40 anos de vida, não tenha valido a pena. Na verdade, sim, valeu muito a pena. Mas a partir da vivência com o processo de Coaching, algumas coisas começaram a fazer sentido em minha vida.

A história ganhou mais significado e cores. O passado com toda a sua bagagem, contendo historias boas e ruins, faz parte de mim. A diferença é que agora, ao invés do passado me puxar para trás, aprendi a usar a historia a meu favor e agora me impulsiona para o futuro. Com o Coaching, aprendi que devo respeitar a minha historia e a de todos que cruzam o meu caminho.

Aprendi também que o futuro é de minha responsabilidade. Creio que o princípio da colheita, que diz que tudo o que o homem plantar ele ceifará, tem muito a ver com essa responsabilidade do futuro. Não tenho que ficar focando minha vida no passado, mas no futuro. Mas isso somente irá acontecer se também eu aprender a viver no presente momento. Se eu compreender que preciso semear coisas boas.

Não posso jogar fora o dia de hoje, pois ele é na verdade o único tempo real que me compete viver com intensidade. O presente bem vivido me lança para um futuro de sucesso. Mas se eu desperdiçar o ‘time’, eu jogo fora as oportunidades que se me apresentam.

Eu vivi intensamente isso, recentemente, em um processo de upgrade no Coaching. Ao fazer a formação de Master Coach, em São Paulo, juntamente com mais 56 Masters Coaches, tentei aproveitar ao máximo o tempo presente e pude oferecer naqueles dias o melhor que eu poderia oferecer. Vi que estou sendo aperfeiçoado, e pude contribuir um pouco com cada colega. Foram dias maravilhosos!

Saio com o entendimento de que somos provocadores de mudanças, e nosso papel é levar cada coachee a compreender a sua responsabilidade com o futuro!! Que tremenda a nossa missão!

Um abraço e um beijo a todos os novos Masters Coaches formados em nossa turma.

 

Etiquetado , , ,

As 10 principais causas do fracasso da liderança

lideranca

A seguir, estão as 10 principais falhas cometidas pelos líderes. Qualquer uma delas é suficiente para levar ao fracasso. Se você aspira a um cargo de liderança, estude a lista atentamente e evite cometer tais erros:

1 – INCAPACIDADE DE ORGANIZAR DETALHES –  Uma liderança eificiente exige capacidade de cuidar dos detalhes. O verdadeiro líder nunca está ‘ocupado demais’ para cumprir qualquer atribuição sua. Quando alguém diz que está muito ocupado para mudar de plano ou para atender uma emergência, admite a própria incapacidade. O líder bem sucedido conhece todos os detalhes inerentes à posição que ocupa, mas sempre conta com assessores competentes para cuidar deles pessoalmente.

2 – RECUSA EM EXECUTAR TAREFAS PRÓPRIAS DE CARGOS ABAIXO DO SEU – O verdadeiro grande líder se dispõe, quando a ocasião exige, a fazer qualquer tipo de tarefa que pediria a outro para executar. “O maior entre vós é aquele que serve a todos” é uma verdade observada e respeitada por todo lider capaz.

3 – QUERER RECEBER PELO QUE SABE, E NÃO PELO QUE FAZ COM O QUE SABE –  O mundo não paga pelo que as pessoas “sabem” , mas pelo que fazem ou levam os outros a fazer.

4 – MEDO DA CONCORRÊNCIA – O líder que teme ser substituído por um dos seus seguidores provavelmente verá seu medo se concretizar. O líder capaz prepara substitutos a quem possa delegar responsabilidades, conseguindo assim multiplicar-se, ir a vários lugares e dar atenção a diversas tarefas ao mesmo tempo. As pessoas recebem um pagamento maior por sua capacidade de fazer os outros produzirem do que pelos próprios esforços. O líder eficiente, com seu conhecimento e o magnetismo de sua personalidade, aumenta em muito a produtividade dos funcionários, levando-os a oferecer melhores serviços.

5 – FALTA DE IMAGINAÇÃO – Sem imaginação, o líder não consegue agir nas emergências nem elaborar planos para orientar com eficiência seus funcionários.

6 – EGOÍSMO –  O líder que toma para si o sucesso do trabalho dos seguidores certamente atrai ressentimentos. O verdadeiro líder não toma a glória para si. Ele se satisfaz em ver a valorização dos seguidores, porque sabe que para eles é mais importante o reconhecimento do que o dinheiro.

7 – DESCONTROLE – Os seguidores não respeitam um líder descontrolado. Além disso, o destempero, em suas várias formas, acaba por destruir a resistência e a vitalidade dos que sucumbem a ele.

8 – DESLEALDADE – O líder que não é leal ao cargo que exerce, aos colegas, aos superiores e aos subalternos não mantém a liderança por muito tempo. A deslealdade reduz o indivíduo a pó e atrai para ele todo o desprezo que merece. A falta de lealdade é uma das principais causas de fracasso em todos os setores da vida.

9 – ÊNFASE NA “AUTORIDADE” DA LIDERANÇA –  O líder eficiente atua pelo estímulo, e não pelo medo incutido no coração dos seguidores. O líder que procura impressionar pela “autoridade” pertence à categoria dos que atuam pela força. O verdadeiro líder não precisa afirmar sua condição – a não ser por sua conduta de solidariedade, justiça e sabedoria.

10 – ÊNFASE NO TÍTULO – O líder competente não precisa de título para conquistar o respeito dos seguidores. Geralmente, aquele que dá muita importância ao título tem pouco a oferecer. As portas da sala do verdadeiro líder estão sempre abertas, e seu ambiente de trabalho não apresenta qualquer formalidade ou ostentação.

Fonte: Livro “Quem pensa Enriquece”, de Napoleon Hill.

Fiz o melhor que pude… e você?

o melhor

Eu quero chegar até você nesse post lhe fazendo algumas perguntas:

Você está disposto a oferecer a você mesmo, e às pessoas que lhe rodeiam, o melhor que existe em você?

Você está disposto a ofertar a essência de sua existência para esta geração?

Você tem compromisso em dar o melhor de si para as pessoas que lhe amam?

Você tem o compromisso com a cultura da sua empresa, de sua família, de sua igreja e comunidade?

Todos os dias você tem a certeza de que verdadeiramente escolheu fazer o que era certo?

Conscientemente, você pode chegar ao final desse dia e afirmar sem dúvida alguma que fez o melhor que pôde?

E você tem se esforçado em seguir a regra de ouro estabelecida por sua liderança na empresa ou ministerio, ou as regras firmadas em sua casa?

PENSE NISSO!

Seu Coach Amigo

ARIEL NOBRE

%d blogueiros gostam disto: