Os segredos do amor: As armas contra a Inveja (3)

inveja2

“O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca acaba”,

1 Coríntios 13:4-8

A inveja é um dos piores defeitos que existe na vida do ser humano. E o Amor descrito em 1 Coríntios 13,  texto que apresenta uma a uma das principais características deste amor, aparece esclarecendo que amar é ter ausência de inveja.  É não cobiçar os bens alheios.

Segundo o dicionário da lingua portuguesa, a inveja é o sentimento de cobiça à vista da felicidade, da superioridade de outrem: ter inveja de alguém é a sensação ou vontade indomável de possuir o que pertence a outra pessoa. Tristeza ou desgosto pela prosperidade ou fortuna alheia. Desejo excessivo de possuir exclusivamente o bem de outrem. Ou seja, inveja e cobiça são irmãs gêmeas, pois quem tem inveja, está cobicando as coisas  para conseguir o que outro possui.

Quantos já não sentiram no ambiente de trabalho, ou no interior de um grupo social,  algum sentimento de que parece ter algo influenciando negativamente na produção do trabalho? Ou o carro novo que alguém acabou de comprar e ao sair na primeira esquina, acontece o pior: um acidente que acaba com a lataria nova do veículo. É o que chamamos de ‘Olho Gordo’.

A inveja além de fazer mal ao invejoso, parece trazer uma carga de incapacidade para a vítima desta opressão perversa e maligna. Talvez por isso, também, um dos 10 mandamentos que Deus deu a Moisés para o Seu povo, no Monte Sinai, incluiu a proibição à cobiça da mulher e até mesmo de bens do próximo. Para amarmos alguém, precisamos exlcuir qualquer sentimento de cobiça.

“Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo.” Ex. 20:17

A INVEJA NO TRABALHO

Colegas que são promovidos e que são excelentes no que fazem, ou que ganham a preferência do chefe, atraem facilmente a inveja daqueles que não conseguem de destacar. Isso é mais comum em ambientes de trabalho do que nós imaginamos. A alta competitividade do mercado talvez seja uma das principais causas para que disputas de quem é o melhor sejam cada vez mais estimuladas. Quanto maior a concorrência, mais o profissional deve se preocupar em evoluir para se destacar perante seus colegas e chefe, não importa como ele consiga isso.

Um dos principais antídotos para o veneno da inveja, no caso se somos os autores da cobiça, são o autoconhecimento e maior segurança com relação as próprias qualidades. Isto transforma comportamentos autodestrutivos e que comprometam terceiros.  E se somos a vítima da inveja de alguém, talvez a melhor forma de evitar isso é a busca pelo aprimoramento das atividades que já exercemos dentro da empresa, sem se preocupar com o trabalho dos outros e  com o que eles irão pensar de nós.

Outro ponto importante é ignorar pensamentos negativos e se concentrar em seu trabalho, melhorando com isso suas habilidades e características pessoais. É importante saber que ninguém está livre da inveja, e quanto mais exposto estamos, ou mais nos destacamos, maior é a probabilidade de despertar esse tipo de sentimento.

Pense nisso!

Seu Coach Amigo

ARIEL NOBRE

Etiquetado , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: