Os segredos do Amor: A Corrente do Bem(2)

bondade_2

“O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca acaba”, 1 Coríntios 13:4-8

O segundo grande segredo do AMOR é a benignidade. Quem é benigno faz o bem, espalha a bondade pelo mundo. A palavra em grego para “bondade” é o verbo “chresteuomai” que é usada apenas no Novo Testamento. Contudo, é usado muito poucas vezes, em duas outras formas. Um é o adjetivo “chrestos”, enquanto o outro é o substantivo “chrestotes”. “Chrestos” significa “bom, gentil, benevolente, benigno, ativamente benéfico apesar da ingratidão.” Consequentemente, “chresteuomai” significa mostrar sua própria bondade, isto é, ser gentil, bom, benévolo, mesmo que seja confrontado com ingratidão.

Um dos excelentes filmes que eu vi, chama-se “A corrente do bem”, onde conta a história real de uma classe escolar, e a professora pede aos alunos que faça alguma coisa original para melhorar o mundo. Um dos garotos tem a excelente ideia de construir a Corrente do Bem, que consistia em cada pessoa fazer um ato de bondade para qualquer pessoa próxima. A estratégia era simples: quando surgisse uma oportunidade, você escolheria alguém no dia para favorecê-lo. Poderia ser o ato de oferecer uma rosa, servir o café, ajudar na atravessia de rua, perdoar o ofensor, e assim por diante.

Isso me faz pensar que se tivermos a mesma atitude, ou seja, escolhendo sempre fazer o bem, então estaremos espalhando essa corrente do amor. Enchendo nossos relacionamentos de bondade, de alegria. Que tal se praticássemos a bondade? O que nos impede de começar agora mesmo a contribuir com um mundo melhor?

Pode parecer um ato simples, sem poder algum de mudar o rumo da humanidade, mas é na simplicidade que conseguimos os maiores poderes. Muitas vezes, queremos nos focar nas coisas macros, esquecendo-nos do pequeno, do casual, daquilo que está ao nosso alcance.

Então vamos ser gentis, benévolo, bondosos, mesmo que nos deparemos com a ingratidão das pessoas. A ingratidão nunca será desculpa para deixarmos de ser benignos. Vamos ter a essência do amor em nossas vidas, espalhando o bem, começando em nossa casa, nos relacionamentos sociais, em nosso ambiente de trabalho e onde quer que estejamos.

Pense nisto!

Seu Coach Amigo

ARIEL NOBRE

Etiquetado , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: