A Palavra Convence, mas o Exemplo Arrasta

A-palavra-convence

Quando eu servi ao Exército Brasileiro, no ano de 1991, aprendi muitas lições que me serviram para a época, e sei que ainda servirão para o resto de minha vida. Aprendi sobre como respeitar a hierarquia, como obedecer ordens, sobre as táticas de guerras na selva, de como sobreviver nas matas de nossa Amazônia; conheci  sobre técnicas de rastejos, de camuflagem de dia e de noite, e também aprendi a fazer bóia com a própria roupa; Participei de campanhas sobre trilhas diurnas e noturnas, e me encantei com a técnica de achar azimutes com as bússolas, para não se perder no meio da selva.

Aventuras não faltaram na temida e, ao mesmo tempo, desejada ‘Operação Boina’. Me senti como se fosse um verdadeiro astro de Holywood, daqueles filmes de guerras que assistimos nos cinemas, ou mesmo na Televisão. Ainda que de forma de treinamento, senti os temores de uma guerra. o medo de ser apanhado pelo ‘inimigo’ e o sabor da vitória, quando alcançávamos o objetivo determinado pelos nossos comandantes. Como aprendi muito!

Mas, de todas as lições que aprendi na prática, creio que os treinamentos não marcaram mais do que uma frase que eu ‘obrigatoriamente’ lia todos os dias, de manhã, à tarde e de noitinha, quando nosso pelotão entrava em forma. É que na parede do quartel, defronte onde ficávamos perfilados, estava escrita a frase: “A Palavra convence, mas o Exemplo arrasta”. 

No começo eu não entendia o que essa frase queria dizer, mas aos poucos fui meditando profundamente sobre ela, e descobri que na vida, por mais que tenhamos palavras fortes que até podem convencer alguém a mudar de opinião, uma atitude tem o poder maior de arrastar uma multidão a seguir os nossos passos.

Alguém pode ter um discurso poderoso, de levar multidão a aplaudí-lo em audtiórios, facultades, palanques e até no Congresso Nacional, mas se suas atitudes não condizer com suas palavras, aos poucos será esquecido e o seu fim será esvair-se na urina da história. Muitos tentam sem sucesso pregar o discurso: “Faça o que eu digo, e não o que eu faço”, mas se perde na moral da história.

Se alguém quer tornar-se um líder de êxito, que se esforce para não apenas ter discursos persuasivos, mas acima de tudo, que se torne modelo para sua geração. O maior exemplo que algúem poderia dar de amor, foi demonstrado através de Jesus na Cruz, quando ele se entregou à morte por causa dos pecados de toda a humanidade. Ele não vivia dizendo: “Eu te amo”, mas demonstrou o maior amor, morrendo naquela cruz.

A Cruz foi a maior frase de palavras não apenas ditas,  mas práticas, que alguém poderia escrever.

E você, tem sido um convencedor-mor só de palavras, ou a sua vida é um exemplo que arrasta multidões?

Pense nisso!

Seu amigo Coach

ARIEL NOBRE

————————————————————————————————————————————————————-

“The Word Convicts, but drags Example”

When I served the Brazilian Army, in 1991, I learned many lessons that served me for the time, and I know I will still serve for the rest of my life. I learned how to respect the hierarchy, how to obey orders, about the tactics of jungle warfare, how to survive in our Amazon forests; knew about techniques creeps, camouflage day and night, and also learned to do with the float own clothes; participated in campaigns on trails day and night, and I was charmed by the technique of finding azimuths with compasses, not to get lost in the jungle.

Adventures in the dreaded not lacking, and at the same time, desired ‘Operation Beret’. I felt like a true Hollywood star, those wars we watch movies in theaters or even on TV. Although the form of training, I felt the fears of a war. fear of being caught by the ‘enemy’ and the taste of victory, when we reached the goal set by our commanders. As I learned a lot!

But of all the lessons I learned in practice, I believe that the training did not score more than one sentence that I ‘must’ read every day, morning, afternoon and evening, when our platoon came into fashion. Is that the wall of the barracks, opposite where we were profiled, was written the phrase, “The Word convicts, but drags Example”.

At first I did not understand what that phrase meant, but gradually I meditating deeply on it, and discovered that in life, however we have strong words that may even convince someone to change their mind, an attitude has greater power Drag a crowd to follow our steps.

Someone can have a powerful speech, lead the crowd applaud it audtiórios, faculties, hustings and even in Congress, but if your actions do not match his words slowly be forgotten and your order will be fading away in the urine of history. Many try unsuccessfully to preach the speech: “Do as I say, not what I do”, but lost the moral of the story.

If someone wants to become a successful leader, who strives to not only be persuasive speeches, but above all, it becomes a model for their generation. The best example anyone could give love was shown through Jesus on the Cross, when he gave himself to death for the sins of all mankind. He lived not saying “I love you”, but showed the greatest love by dying on the cross.
The Cross was the highest expression of words not only themselves, but practical, someone could write.

And you, has been a chief only convicting words, or your life is an example that draws crowds?

Think about it!

Your friend Coach
ARIEL NOBRE

Etiquetado , , , , , , , , , ,

Um pensamento sobre “A Palavra Convence, mas o Exemplo Arrasta

  1. Elisandra Borges disse:

    Essa frase é muito forte, mas interessante, pois devemos está sempre atentos aos nossos atos. Muito linda essa mensagem…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: